Strict Standards: Declaration of Walker_Page::start_lvl() should be compatible with Walker::start_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1199

Strict Standards: Declaration of Walker_Page::end_lvl() should be compatible with Walker::end_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1199

Strict Standards: Declaration of Walker_Page::start_el() should be compatible with Walker::start_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1199

Strict Standards: Declaration of Walker_Page::end_el() should be compatible with Walker::end_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1199

Strict Standards: Declaration of Walker_PageDropdown::start_el() should be compatible with Walker::start_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1244

Strict Standards: Declaration of Walker_Category::start_lvl() should be compatible with Walker::start_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1391

Strict Standards: Declaration of Walker_Category::end_lvl() should be compatible with Walker::end_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1391

Strict Standards: Declaration of Walker_Category::start_el() should be compatible with Walker::start_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1391

Strict Standards: Declaration of Walker_Category::end_el() should be compatible with Walker::end_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1391

Strict Standards: Declaration of Walker_CategoryDropdown::start_el() should be compatible with Walker::start_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/classes.php on line 1442

Strict Standards: Redefining already defined constructor for class wpdb in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/wp-db.php on line 306

Strict Standards: Redefining already defined constructor for class WP_Object_Cache in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/cache.php on line 431

Strict Standards: Declaration of Walker_Comment::start_lvl() should be compatible with Walker::start_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/comment-template.php on line 1266

Strict Standards: Declaration of Walker_Comment::end_lvl() should be compatible with Walker::end_lvl(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/comment-template.php on line 1266

Strict Standards: Declaration of Walker_Comment::start_el() should be compatible with Walker::start_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/comment-template.php on line 1266

Strict Standards: Declaration of Walker_Comment::end_el() should be compatible with Walker::end_el(&$output) in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/comment-template.php on line 1266

Strict Standards: Redefining already defined constructor for class WP_Dependencies in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/class.wp-dependencies.php on line 31

Strict Standards: Redefining already defined constructor for class WP_Http in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/http.php on line 61

Strict Standards: Only variables should be assigned by reference in /home/sertaope/sertaope.com.br/wp-includes/query.php on line 1465
 Atrativos | Araripe e Moxotó/PE

Pular a navegação e ir direto para o conteúdo


Atrativos de Araripina

Serras

Chapada do Araripe
Localização: Araripina

Descrição do atrativo

Localizada no semi-árido nordestino, a Chapada do Araripe possui uma grande importância geológico-morfológica, econômica e social, tendo inclusive seu território definido como uma mesorregião pelo Ministério da Integração Nacional. A mesorregião da Chapada do Araripe compreende 103 municípios, sendo 25 municípios no estado do Ceará, 18 municípios no estado de Pernambuco e 60 municípios no estado do Piauí.

Possuindo uma área total de 76.654,3 km², a Chapada do Araripe divide-se nas seguintes partes:

Topo da Chapada - exige cuidados especiais, onde a irrigação não constitui uma solução viável por várias razões. A técnica adotada nesse espaço é “a lavoura seca”, com culturas pouco exigentes ou adaptadas à escassez de água (mandioca, andu, caju, abacaxi, gergelim, urucum etc).

Zona de Escarpa - considerada por lei área de preservação permanente – APP - comporta uma única exploração permitida: a apicultura.

Pé da Serra - nesta área estão as nascentes e os minadouros, cacimbas, rios, riachos e boqueirões, propícios à construção de pequenos reservatórios de água. Em suas várzeas e baixios situam-se mais os canaviais, com engenhos de rapadura e aguardente. A região é produtora de feijão e milho e ali estão também as maiores fazendas dedicadas à pecuária. Pelo seu clima, pelo potencial hídrico, proximidade dos centros consumidores e por sua malha rodoviária, a zona é também vocacionada para horticultura e fruticultura.

Vale salientar que o forte potencial econômico da chapada é bastante explorado por indústrias que muitas vezes não tomam o cuidado de zelar pelo desenvolvimento sustentável, donde as principais riquezas exploradas são as minas de gesso e calcário, além do extrativismo vegetal.

Fonte: Pesquisa em campo / Ibama

Reservas Florestais/ Estações Ecológicas

APA da Chapada do Araripe:

Localização: Araripina

Descrição do atrativo

Criada pelo decreto n° 148 de 04 de agosto de 1997, está localizada no coração do Nordeste e abrange uma área de 1.063.000 hectares, sendo 47% no estado do Ceará (15 municípios), 36% no estado do Pernambuco (12 municípios) e 17% no estado do Piauí (11 municípios).

Possui uma superfície de 1.063.000 hectares e um perímetro de 2.658 km, englobando, em Pernambuco, os municípios de Araripina, Trindade, Ouricuri, Ipubi, Exu, Santa Cruz, Bodocó, Cedro, Moreilândia, Granito e Serrita.

Esta unidade foi criada para proteger a fauna e a flora, especialmente as espécies ameaçadas de extinção; garantir a conservação de remanescentes de mata aluvial, dos leitos naturais das águas pluviais e das reservas hídricas; garantir a proteção dos sítios cênicos, arqueológicos e paleontológicos do cretácio inferior, do complexo do Araripe. Ordenar o turismo ecológico, científico e cultural e as demais atividades econômicas compatíveis com a conservação ambiental; incentivar as manifestações culturais e contribuir para o resgate da diversidade cultural regional e assegurar a sustentabilidade dos recursos naturais, com ênfase na melhoria da qualidade de vida das populações residentes na APA e no seu entorno são também seus propósitos.

No que se refere à flora, a vegetação é bastante diversificada, apresentando domínios de cerradão (tipo predominante), caatinga e cerrado. Em relação à fauna, é rica em aves, mamíferos, répteis e insetos. Na região, foi descoberta uma ave que corre risco de extinção, trata-se do soldadinho-do-araripe.

Fonte: Pesquisa em campo / Ibama

Mirantes

Mirante da Serra do Caldeirão

Localização: Margens da BR-316

Acesso

Ponto de referência: Sede do município
Distância: 21 km
Vias de acesso: Tomar a RR-316, sentido Piauí, por 21 km até o atrativo
Transporte: Auto passeio

Descrição do atrativo

O mirante fica no topo da chapada do Araripe, próximo à divisa entre os estados de Pernambuco e Piauí. A partir dele, pode-se avistar, além da vegetação típica da caatinga, o Vale do Araripe e, ao fundo, parte da cidade de Araripina.

Mirante do Aeroporto

Localização: Estrada do aeroporto

Acesso

Ponto de referência: Sede do município
Distância: 6 km
Vias de acesso: Tomar a BR-316, sentido Piauí, por 5 km, entrar à direita na estrada do aeroporto por 1 km até o atrativo
Transporte: Auto passeio

Descrição do atrativo

Do mirante do aeroporto é possível contemplar o vale do Araripe, assim como diversas manchas de mata secundária. Canafístulas, mandacarus e catingueiras são algumas espécies típicas da região e que formam a paisagem do local.
Na descida do mirante é possível observar toda a cidade de Araripina.

Atrativos Culturais

Igrejas

Matriz de Nossa Senhora da Conceição

Localização: Praça padre Luiz Gonzaga s/n, Centro, CEP: 56280-000

Acesso

Ponto de referência: Atrativo urbano

Descrição do atrativo

Edificada, em meados do século XX, ao gosto neogótico, a igreja tem todos os seus vãos abertos em arcos ogivais. Na fachada principal se destaca a única torre central mais avançada em relação ao corpo do templo, na qual está a porta de acesso.

Os festejos com devoção à padroeira acontecem no mês de dezembro, com novenário e procissão. O entorno do templo é marcado por uma praça em múltiplos planos. Situada no núcleo urbano, em sua ambiência se observa um intenso comércio e algumas casas térreas que ainda conservam características construtivas originais, possivelmente do mesmo período da edificação da igreja.

Arquitetura Civil/Conjunto Arquitetônico

Povoação de Morais

Localização: Distrito de Morais

Acesso

Ponto de Referência: sede do município
Distância: 15 km
Vias de acesso: BR-316, no sentido Ouricuri.
Transporte: Auto passeio

Descrição do atrativo

O distrito está situado às margens da BR-316. O seu conjunto mais antigo está à esquerda e mais afastado da margem.

O elemento de maior destaque é a Igreja do Bom Jesus. Edificada em estilo eclético, ao gosto neogótico, a fachada principal possui uma porta de acesso e uma única torre central. Os festejos com devoção ao padroeiro acontecem no mês de agosto, com novenário e procissão.

O entorno do templo é marcado por uma praça contornada por árvores de médio porte e um casario térreo, geminada e predominantemente com platibanda. O conjunto é harmonioso, porém carece de maior conservação.

Gastronomia Típica

Baião-de-dois

Ingrediente principal/ Matéria-prima: feijão

Descrição:

Trata-se de um dos mais típicos pratos da culinária sertaneja regional e, dependendo do município, é conhecido como baião-de-três, baião-de-dois, rubacão, ou arrubacão. Consiste em feijão de corda (verde ou seco) e arroz, cozidos juntos e misturados com carne de sol ou de charque assada e desfiada e queijo coalho. É servido quente, em panela de barro, acompanhado de paçoca.

Bode Assado

Ingrediente principal/ Matéria-prima: carne de bode

Descrição:

A carne de bode ou cabrito se constitui em um dos mais típicos pratos da culinária sertaneja regional. Seja defumado, como carne de sol ou fresco, é preparado de várias maneiras: guizado, assado no forno ou na brasa; cozido em forma de caldeirada; grelhado. De acordo com a maneira do seu preparo, pode ser servido com o pirão feito do caldo em que foi cozido, com feijão verde, fava, farofa de cuscuz, xerém (angú), arroz vermelho ou arroz mexido.

Buchada

Ingrediente principal/ Matéria-prima: carne de bode

Descrição:

A buchada, um dos mais tradicionais pratos da cozinha sertaneja, consiste numa espécie de cozido, preparado com o bucho de bode ou carneiro, recheado com um picadinho do sangue coagulado, tripas e fígado, refogado com hortelã, limão, alho, cebola e temperos. É acompanhado de pirão feito com o caldo onde foi cozido, arroz branco, vermelho ou mexido.

Canjica

Ingrediente principal/ Matéria-prima: milho

Descrição:

Um dos pratos típicos do ciclo junino. De consistência cremosa, a canjica é preparada com milho verde ralado, açúcar e leite de coco. É servida polvilhada com canela. É conhecida no sul do país como curau.

Galinha de Cabidela

Ingrediente principal/ Matéria-prima: galinha

Descrição:

A galinha de cabidela é um dos mais populares e apreciados pratos da cozinha pernambucana. Consiste em galinha temperada e cozida em pedaços no molho preparado com seu sangue fresco e avinagrado. Acompanha arroz branco e farofa de farinha de mandioca ou de cuscuz. É servida também com fava ou feijão de corda, seco ou verde.

Mão-de-vaca

Ingrediente principal/ Matéria-prima: carne de boi

Descrição:

Consiste em um cozido preparado com as patas dianteiras da vaca refogadas com temperos. É servida com pirão feito do caldo em que foi cozida.

Munguzá Salgado

Ingrediente principal/ Matéria-prima: milho

Descrição:

Típico da cozinha sertaneja, o mungunzá salgado consiste em milho próprio para mungunzá, cozido junto com o feijão de corda, pé de porco, carne de charque e temperos. É servido com farinha de mandioca.

Pamonha

Ingrediente principal/ Matéria-prima: milho

Descrição:

A pamonha é comida típica do ciclo junino. É preparada com milho verde ralado, temperado com açúcar, leite de coco, e colocadas em saquinhos feitos com a palha do milho verde e cozinhada em água fervendo. No sertão, a pamonha, é também, servida salgada acompanhando galinha de capoeira guizada ou à cabidela.

Tapioca de Forno

Ingrediente principal/ Matéria-prima: mandioca

Descrição:

Molha-se a goma de mandioca com sal a gosto, desmancha-se bem e em seguida põe-se o coco ralado e mistura-se tudo. Arruma-se a massa em uma assadeira e leva-se ao forno para assar. Servir com carne de sol, linguiça caseira, costela de porco ou carneiro assado.

Feiras e Mercados

Mercado do Produtor de Araripina
Endereço: Bairro da Boa Vista
Local de ocorrência: Ruas do bairro da Boa Vista
Época/ Duração/ Periodicidade: sábados

Descrição do atrativo
Nesse mercado realiza-se a feira semanal, onde são comercializados cereais, frutas, verduras, cerâmicas artesanais, artigos de sacaria, dentre outros. Durante a semana permanece aberto com alguns produtos disponíveis para a população da cidade e visitantes.

Festas Populares e Religiosas

Festa de Nossa Senhora da Conceição

Local de ocorrência: Praça Padre Luiz Gonzaga ou Praça da Matriz.
Época/ Duração/ Periodicidade: 29 de novembro a 08 de dezembro / anualmente.

Descrição do atrativo
A festa da padroeira Nossa Senhora da Conceição consta de novenas, missas e procissão. Ao redor da igreja são armadas barracas onde são comercializados comidas típicas e artesanato. Apresentação de conjuntos musicais. Nas imediações do templo são montados parques de diversões.

Centros de Pesquisas/ Estações Experimentais

Centro Tecnológico do Araripe
Localização: Rua Antônio Alexandre Alves, S/N. CEP: 56.280-000

Acesso
Ponto de Referência: atrativo urbano

Descrição do atrativo
Inaugurado em 2006 como resultado da parceria entre o Governo do Estado, através da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente – SECTMA - e Governo Federal, dentro do Programa de Expansão da Educação Profissional – PROEP – o Instituto Tecnológico de Pernambuco - ITEP - o Sindigesso, a Prefeitura Municipal, o Senai, o Sebrae e a Agência de Promoção de Exportação e Investimentos - APEX, o Centro de Pesquisa está voltado à cadeia produtiva do gesso e mandioca.

Priorizando os arranjos produtivos locais, além de pesquisas na área, oferece cursos profissionalizantes e oficinas de artesanato, com ênfase para o gesso como matéria-prima. Todas as ações estão voltadas ao aprimoramento da produção, com vistas à questão ambiental e à preservação dos recursos naturais.

Fone/Fax: 87 3873 8376

Santuários
Santuário da Verônica do Senhor
Localização: Sítio Boca da Mata

Acesso
Ponto de Referência: sede do município
Distância: 3 km
Vias de acesso: saindo pelo bairro de Santa Bárbara, tomar estrada vicinal, que vai do sítio Boca da Mata por 2 km.
Transporte: auto passeio, carro de aluguel

Descrição do atrativo
Conta-se que a imagem venerada foi trazida do Ceará, por um peregrino italiano que a entregou ao sr. João Custódio Arraes no ano de 1909. Desde então, vem sendo cuidada pelos descendentes e é motivo de romaria.

A visitação ocorre durante todo o ano, principalmente aos domingos, mas o período de maior afluência ocorre no mês de outubro quando, no último domingo, são realizados batizados e casamentos.

A capelinha que abriga a imagem tem formato de ¨T¨, com uma única porta central. Aos fundos, a ¨Sala dos Milagres¨, com muitas fotografias, bilhetes de pedidos e agradecimentos. A capela fica recuada, murada e, no adro, um jardim de plantas ornamentais. À esquerda, uma edificação isolada onde é mantido o altar para celebração de missas.

Praças/ Parques

Praça Frei Ibiapina
Localização: Centro

Acesso
Ponto de Referência: atrativo urbano

Descrição do atrativo
No local em que se encontra a praça existiu uma igreja dedicada a São Vicente de Paulo, inaugurada em 1871 pelo fundador de Araripina, o padre José Antonio Maria Pereira Ibiapina. A igreja foi demolida em 1970 e em seu lugar hoje está a praça, reformada em 2008, apresentando estilo moderno, com fonte luminosa, que serve de pedestal à imagem de São Vicente de Paulo, esculpida por Jobson Figueiredo.

Construída em dois planos, no inferior encontram-se os brinquedos infantis sombreados por algarobeiras. Além desses equipamentos, possui duas baterias de banheiros públicos.

Praça Padre Luiz Gonzaga
Localização: Centro - entorno da Igreja de Nossa Senhora da Conceição

Descrição do atrativo
Mais conhecida como Praça da Matriz, tem como destaque a Igreja Matriz de N. Sra. da Conceição. A parte frontal da praça, em diversos níveis, apresenta algumas árvores e barracas que comercializam lanches e uma banca de revistas. Ao lado direito da igreja, um coreto e se segue, na parte posterior ao templo, uma larga calçada em meio a avenida Antonio de Barros Muniz. Esse calçadão é tomado por canteiros de plantas ornamentais, vegetação de médio porte e palmeiras imperiais.

Espaços Culturais

Sesc Ler
Localização: rua Vereador José Barreto Alencar, S/N, Centro. CEP: 56.280-000

Acesso
Ponto de Referência: atrativo urbano
Transporte: auto passeio

Descrição do atrativo
Fundado em 14 de dezembro de 2004, o centro educacional Sesc Ler Araripina faz parte de um programa de educação para jovens e adultos, oferecendo turmas gratuitas de ensino fundamental (1ª à 4ª série) para alunos de 15 a 70 anos. Posteriormente, o centro passou a trabalhar também com educação infantil para crianças a partir dos quatro anos.

O espaço possui uma moderna infra-estrutura, com salas de aula, biblioteca, quadras poliesportivas, piscinas e laboratório de informática, para contribuir nas atividades extra-curriculares oferecidas pelo programa, nas áreas de cultura, lazer, saúde e cidadania.

O Sesc Ler recebe periodicamente exposições de artes plásticas, espetáculos de teatro e dança, cursos de capacitação profissional e assistência odontológica.

Contatos: Fone/Fax: 87 3873 0812 ou 87 3873 2636



FOTOS